quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Nova sede dos metalúrgicos é inaugurada, Fotos da Grande festa

Uma grande confraternização marcou a abertura da nova sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari/CTB, no último sábado (16), no centro da cidade. Os trabalhadores compareceram em massa para acompanhar a cerimônia oficial, que destacou o pioneirismo e visão da entidade ao investir na preservação e ampliação do patrimônio da categoria.
Para o Sindicato, investir no patrimônio é assegurar mais benefícios e qualidade de vida aos trabalhadores, tanto no atendimento presencial no Sindicato, nas áreas jurídica e de saúde, por exemplo, quanto no lazer, simbolizado pelo Metal Clube, o polo de diversão dos metalúrgicos.
A nova sede, que ganhou mais comodidade e conforto, é mais uma ação da entidade beneficiando o patrimônio dos trabalhadores, após a construção do Metal Clube, em Jauá.
”Poucos sindicatos têm a estrutura que os Metalúrgicos de Camaçari passam a ter a partir de agora, com a nova sede que construímos para melhor atender os sócios, com estrutura de primeira linha”, diz Júlio Bonfim, presidente do Sindicato.
Júlio também destacou o seu envolvimento no projeto da nova sede. “Quando eu parei pra fazer a logo do Sindicato, fiz com amor. Quando parei pra fazer o projeto do Metal Clube, também fiz com amor. Mas quando parei pra fazer o projeto do Sindicato, onde me debrucei no programa dividindo paredes, fazendo ambientes, rasgando folhas de papel, fiz com mais amor ainda e deu certo. Tomara que todos gostem e saibam cuidar e que dure por muitas gerações”, contou Júlio Bonfim.
































































5 comentários:

Pedido de socorro e humanidade

Iniciamos registrando, que escrevemos algo que não gostaríamos.
O nosso desejo era de poder sentir mais paz, segurança e conforto no dia a dia de trabalho, mas infelizmente, estamos vivendo dias que clamam por mudanças.
É claro, que mudar não é uma coisa tão fácil, mas tentar buscar essa mudança é um passo realmente muito importante, “uma obrigação pelo bem coletivo”.
No entanto, não é percebido, qualquer tipo de esforço nesse sentido oriundo da OPUS. Com tudo... Hoje, vemos, que o nosso futuro, aqui dentro está cada vez mais incerto, obscuro e duvidoso. É frustrante quando se toma uma atitude em busca da melhoria, da excelência e não obtemos as respostas desejadas.
Nossas dúvidas são latentes; será que a OPUS é a empresa mais indicada para estar à frente de atividades OPERACIONAIS E RODAGEM ? Será que á OPUS possui a qualificação para conduzir os profissionais que vestem a camisa da empresa, mesmo insatisfeitos ? Será que o seu conhecimento e experiência são suficientes para que os colaboradores possam sentir-se motivados à desenvolver um trabalho de qualidade?. Será que está realizando um trabalho de gestão satisfatório a equipe? Será que á OPUS da importância aos seus colaboradores ?.
Acreditamos que não!.

Trabalhamos 8 hrs por dia, dentro do CIFN(Complexo Industrial Ford Nordeste) em um total descontentamento profissional e humano a gestão da OPUS.
Começando pelo regime de banco de horas, onde somos mensalmente dilacerados pelos descontos da somatória de minutos seja anterior ou posterior aos 3 apontamentos obrigatórios (Início, almoço e encerramento), é comum vermos colaboradores buscando respostas pelos descontos oriundos de um sistema desumano de controle.
A alimentação também nos inspira cuidado, hoje recebemos da OPUS um “kit”, contendo nele em sua variedade, pacotes de bolachas (2) unidades água e sal e bolachas estilo rosquinhas, assim também como pacotes de torradas (1) unidade cada, acompanhadas por (1) unidade de suco de caixa industrializado por dias da semana. Agora sintam a agonia dos colaboradores que saem de suas casas e enfrentam 8 horas de trabalho em sua grande maioria exaustivamente com apenas 1(uma) refeição balanceada.( O almoço no refeitório). Como ficam aqueles que não podem ingerir gorduras saturadas? Glúten? Sal? Açúcares? Derivados de leite? Derivados perigosos a alérgicos? Quando no intervalo das atividades ingerem (1) bolacha agua e sal e (1) caixa de suco industrial. Ao longo de meses de trabalho, como estará essa mão de obra?

Segurança, não existe DDS diário na base, diariamente novos e velhos contratados são encaminhados para diversas áreas da produção e rodagem sem o mínimo de preocupação da empresa em saber se o colaborador está apto, e se ele conhece as regras de segurança para a execução da atividade. Colaboradores são enviados a campanhas em setores da planta que requerem EPI’s específicos apenas com coletes reflexivos, expostos a sol, chuva, vento, animais peçonhentos e total escuridão em prol apenas de concluir a atividade já paga. Fica uma pergunta aqui exposta a contratante; será que os colaboradores realmente executam as campanhas pagas com excelência,diante de total abandono e desumanidade?
Na atividade da RODAGEM (VOICE), onde se arriscam diariamente, em pistas perigosas, onde existem motoristas imprudentes, animais nas pistas, assim como riscos naturais, sol e chuva. Nenhum dos colaboradores tem seguro de vida, sequer recebem periculosidade. Todos executam suas atividades sem a menor certeza de caso algo acontecer na jornada de trabalho, se sua família será assistida. Esses colaboradores, OPERAM PROTÓTIPOS, carros não seguros, que diga-se de passagem, já ocorreram dezenas de acidentes e a preocupação com o colaborador JAMAIS foi despertada.
Idoneidade, hoje se tornou preocupação entre os portões da OPUS, é comum ouvirmos e vermos os casos de peças e assessórios que “somem”, rodas, pneus, som, alto falantes, combustível, baterias e afins. Trabalhar em um ambiente corriqueiramente alvo de investigação por ROUBO é no mínimo constrangedor, recebemos a informação que seremos vigiados e monitorados por um sistema de câmeras 24 hrs por dia, já sentimos por parte da segurança patrimonial da planta um cuidado maior na revista pessoal. Clamamos por humanidade e direitos mais justos!.

Esse pedido não se trata de apenas buscar direitos e sim de LUTAR por mais dignidade;... Não esquecendo dos baixos salários que devorados pelos constantes descontos do atual regime de horas, cai para menos de R$900 reais. Á OPUS disponibiliza um plano de saúde onde se colocado o trabalhador a esposa e um filho o desconto será de R$350 reais com mais a coparticipação. Sem BÔNUS pela atividade prestada, independente da função do colaborador não há motivação, hoje nos sentimos esquecidos, abandonados e por muitas vezes assediados por comentários do tipo : “se não quiser desta forma é só passar no RH e escrever a sua carta de demissão”.
O pior, não se percebe que a FORD não demonstra qualquer sinal ou vontade de mudança. Talvez pense que aqui dentro tudo está correndo naturalmente. Pois estamos aqui para te dizer – mos : não está!. Trabalhamos em um setor da planta que mais parece um pântano, fétido e sombrio, onde as empresas entram, e aqui, aplicam suas próprias regras e ditam suas normas, mesmo diante de todo o cenário trabalhista aplicado no CIFN.
Precisamos de reestruturações urgentes, precisamos ser OUVIDOS, precisamos que a FORD ,perceba e compreenda a nossa situação PRECÁRIA .

Nós, como colaboradores da OPUS, dependemos do sindicato que nos assiste,que nesse caso é dos COMERCIÁRIOS que nada faz, ao contrário dos metalúrgicos que tem conquistado muitas vitórias estando lado a lado com os trabalhadores!.
É de uma total incoerência uma empresa que pertence ao comerciarios fassa parte,dentro um complexo totalmente da área metarlúgica.
Na convenção coletiva do SICOMÉRCIO ,Camaçari e região,2017/2018. Foram acordados o seguinte :
PARAGRAFO SEGUNDO : Os empregados forneceram.gratuitamente,um lanche,dosempregados convocados para o trabalho suplementar,com duração superior a 02:00 ( horas ).
PARAGRAFO SÉTIMO :
a ) As empresas que tiverem mais de 11 ( onze ) empregados integrantes da categoria profissional do comercio,que laborarem os dias de feriados,receberão uma bonificação de R$ 45.00 ( quarenta e cinco reais ),no mesmo dia trabalhado....
Nada e/ou alguns desses acordos nunca aconteceram e não acontecem,pois diáriamentes fazemos atividades detro e fora do compelxo da Ford,sem termos direitos a lanches durante as atividades prestadas.
Então,perguntamos aos companheiros dos metalúrgicos,que tem uma grande representação e de orgulhos de muitos : Nós,colaboradores da OPUS,poderemos contar com sua ajuda nessa luta?
Não sabemos se esta carta irá surtir algum efeito, mas temos certeza que se a luta não for iniciada, nada melhorará para os colaboradores da OPUS

ATT : COLABORADORES DA OPUS

Postar um comentário

COMO POSTAR UMA DENÚNCIA?

1° ESCREVA SUA DENÚNCIA E CLIQUE POSTAR COMENTÁRIO
2° DEPOIS ESCREVA AS LETRAS DE VERIFICAÇÃO DE PALAVRAS
3° FINALMENTE CLIQUE NOVAMENTE EM POSTAR COMENTÁRIO

Compartilhe em suas redes sociais

Twitter Orkut Facebook Digg Stumbleupon Favoritos Mais