sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Audiência no ministério público do trabalho: Ou dá ou desce!

O Ministério Público do Trabalho reafirmou o que o Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari vem falando desde a crise provocada pelo Complexo Ford ao final da campanha salarial. Em audiência no MPT, nesta sexta-feira (30), em Salvador, a Procuradora Séfora Graciana, que mediou o encontro, ratificou que a montadora precisa cumprir a Convenção Coletiva da categoria, ou seja, adotar o reajuste salarial e todos os outros pontos previstos no acordo da database.

No entanto, na oportunidade, a Ford voltou a argumentar que a database e outros direitos devem ser discutidos em um “pacote”. Por outro lado, os dirigentes sindicais disseram que as negociações específicas, sejam de direitos sociais ou econômicos, devem ser respeitadas. Ainda de acordo com os diretores, bônus, PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e incremento no valor da database, por exemplo, são questões independentes de qualquer pacote. Aliás, é preciso destacar que o Sindicato vem buscando discutir esses temas com a empresa. Mas, os trabalhadores não podem ser desrespeitados e a Ford caminhar pela ilegalidade.

Depois de ouvir as duas partes, a Procuradoria propôs, na ata de audiência, que “a empresa passe a observar o cumprimento da CCT em sua integridade, inclusive as consequências retroativas, a medida que seja discutido o acordo coletivo e paralelo no âmbito desta PRT”. Ou seja, que a Ford cumpra o acordo da database e que as outras negociações sejam feitas sob mediação. É importante deixar claro também que o “retroativo” dito pela Procuradoria incide em todas as verbas pagas a partir de 1º de julho. 

O Sindicato acatou a sugestão da Procuradoria prontamente. Já a Ford deve se manifestar sobre a proposta ao Ministério Público do Trabalho, através de um documento, nesta terça-feira (4).

30/09/2011
Fonte: Sindicato dos Metalurgicos de Camaçari

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

GAMESA TENTA ASSEDIAR OS TRABALHADORES NA ASSEMBLÉIA

A Gamesa, empresa de geração de energia eólica que está situada perto da Fábrica da Tigre, tentou com todas as forças acabar com a assembléia realizada hoje pela manha (29) as 06h15min.

O fato ocorreu quando a gerente de Rh e o gerente de produção tentaram com uma forma ditatorial e prepotente interromper a assembléia dos trabalhadores realizada pelo sindicato, os prepostos da empresa assediaram os trabalhadores dizendo que a assembléia deveria acabar logo por que a produção da Gamesa não poderia parar. O diretor do Sindicato dos Metalúrgicos, Júlio Bonfim rebateu a ameaça e colocou muito claro “ou os prepostos da empresa saiam do meio dos trabalhadores e parassem com o posicionamento de assédio moral, ou os trabalhadores não entrariam na fábrica e a fábrica não produziria nada!”. Os mesmos retiraram-se e à assembléia continuou acontecendo até o final. "A Gamesa parece que está em outro mundo, achando que aqui é a Espanha e pode fazer o que ela bem entende, caiu do cavalo, os trabalhadores estão unidos para lutar pelos seus propósitos e o sindicato não vai admitir nenhuma retaliação contra os trabalhadores" diz Bonfim.

A Gamesa é uma empresa espanhola no ramo de energia eólica que está fazendo 6 meses de início de operação no município.

O sindicato tem como principal objetivo, a pauta: Redução da jornada de trabalhado sem redução de salário, PLR participação dos lucros e resultados, plano de cargo e salário, melhoria do transporte e a relação interpessoal entre empresa e trabalhador que hoje infelizmente mostrou o lado carrasco e desrespeitoso da empresa.


Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari
29/09/2011

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Magna Internacional uma empresa fundo de quintal


Presidente da Magna
Magna Internacional, maior fabricante de autopeças do Canadá e a terceira do ranking mundial, comprou a Resil Minas, principal fornecedora de partes metálicas para assentos automotivos da América do Sul que está localizada no polo plástico de Camaçari e fornece o esqueleto do banco para LEAR. A nova divisão de negócios passa a se chamar Magna Seating Brasil. O problema é que a Magna, que é a terceira do ranking mundial de autopeças, tem um comportamento de empresa de fundo de quintal e extremante arrogante. Na véspera ou um dia antes das férias coletiva anunciada pela Ford, ela desligou no mesmo dia 28 trabalhadores sem nenhuma justificativa.


A Magna pisou na Bahia com o pé esquerdo, infelizmente essa é a forma equivocada das empresas que tentam aumentar seus lucros nas costas do peão. O sindicato e os trabalhadores estão sendo desrespeitados pela Magna, a empresa nem mesmo teve a coragem de convocar o sindicato para uma reunião.

O sindicato suspendeu as homologações dos trabalhadores e ao retornar das férias coletivas estará realizando mobilizações na frente da fábrica, solicitando que a empresa sente para revê as demissões feita de forma desrespeitosa.



A Resil Minas tem sede em São Joaquim de Bicas (MG), além de unidades em Camaçari (BA) e Córdoba (Argentina). A companhia registrou faturamento de R$ 294 milhões em 2009 e tem cerca de 1.400 funcionários. Entre os clientes da empresa estão a Fiat, Ford, General Motors, Volkswagen, Peugeot, Citröen, Renault e Iveco. Atualmente, a Resil tem 45% de market share do segmento de partes metálicas para bancos no Brasil. Uma empresa que não respeita os trabalhadores, só vai tomar “bordoada”.
 

27/09/2011

Mediação é remarcada pelo Ministério Público do Trabalho para dia 30


A Mediação da Ford no MPT, que estava marcada para hoje 27/09, ás 17:00,
foi adiado pelo Ministério Público do Trabalho para dia 30/09, sexta-feira às 14:00.

Certidão enviada pelo MPT via fax, clique na imagem para ampliar:


27/09/2011

CRÔNICA DE UMA CAMAÇARI BANG-BANG.

É preciso, de imediato, que Sociedade Civil e Poder Público assumam que, apesar dos seus esforços, resta pouca, ou nenhuma,  esperança de normalidade diante da reincidência anárquica das inúmeras ações criminosas que ganharam Camaçari desde o último fim-de-semana (Imagem Ilustrativa)
É preciso, de imediato, que Sociedade Civil e Poder Público assumam que, apesar dos seus esforços, resta pouca, ou nenhuma, esperança de normalidade diante da reincidência anárquica das inúmeras ações criminosas que ganharam Camaçari desde o último fim-de-semana (Imagem Ilustrativa)

A violência que nos últimos dias eclodiu de maneira indisfarçável, em Camaçari, nos remete à memória àquelas cenas de bang-bang experimentadas por recônditos e desprotegidos povoados do Velho Oeste americano. A diferença básica, entretanto, é que a ficção da tela do Cinema nos resguarda dos perigosos fora-da-lei do West, e aqui, no nosso município, quem nos garantirá o resgate do precioso direito de andar, em segurança, pelas ruas; e de ter nossos lares e propriedades preservados da sanha criminosa?

É preciso, de imediato, que Sociedade Civil e Poder Público assumam que, apesar dos seus esforços, resta pouca, ou nenhuma, esperança de normalidade diante da reincidência anárquica das inúmeras ações criminosas que ganharam Camaçari desde o último fim-de-semana. Bandidos, sem nenhuma cerimônia, respeito ou temor, estão em toda parte promovendo ilícitos tão ousados, que escarnecem deliberadamente da Lei e das autoridades constituídas, apregoam desconhecer quaisquer limites, e a população, refém, vê-se impiedosamente acuada. Como também vive a comunidade da orla, a priore, de
Vila de Abrantes, distrito que querem dominar.

No sábado, registre-se, residências arrombadas e saqueadas. No domingo, assassinato e várias tentativas de homicídios nos bairros da Gleba C e no Cristo Redentor. Na madrugada de segunda-feira, em pleno Centro, na Avenida 28 de Setembro (Avenida Radial A) foram
duas lojas roubadas. Nesta ocorrência, os bandidos realizaram grande empreendimento, pois, precisaram perfurar paredes e serrar grades. Curioso pensar que não fizeram barulho, ou se o fizeram, não foram ouvidos pelos policiais do Módulo Militar da Praça Abrantes, instalado a menos de 100 metros do local do crime. E, segundo um dos dois logistas, se viu só, ao procurar a delegacia pedindo, sem sucesso, que um agente o acompanhasse até seu estabelecimento arrombado onde perdera cerca de 350 mil só em mercadorias.

Ainda na tarde da mesma segunda-feira, anote-se, mais outro evento delituoso ousado e afrontoso. Um assalto a uma relojoaria, que acabou em troca de tiros em plena Avenida Getúlio Vargas, Centro, também na praça Abrantes, a menos de 50 metros do mesmo módulo policial e mesmo tendo uma viatura do outro lado da praça. Até a hora que se escreve esta crônica nenhum bandido foi detido. Embora todas as Companhias de Polícia estejam em perseguição dos mesmos, como afirmam estas. Apesar das Blitzes.

Para esta terça-feira, sem saber o que se passa na cabeça dos criminosos, além do desrespeito e descaso para com as autoridades, principalmente policiais, a melhor coisa que a população tem a fazer é rezar, para que os delinqüentes cessem tais investidas. Embora, saibamos, que pedir proteção à sua fé seja algo pessoal e subjetivo de cada um. Mas a segurança, não. Numa comunidade onde as coisas devem estar no seu devido lugar, ela é critério objetivo. E dever irrenunciável do Estado.

LOUVÁVEL, MAS...

Foi apresentado há pouco tempo, pela respectiva secretaria estadual, o plano ‘Pacto pela Vida’. A ementa de tal projeto visa um chamamento dos diversos segmentos e atores sociais para combater a violência e a insegurança, ou seja, as degenerações sociais que resultam na fábrica do crime.

A iniciativa é louvável e cidadã. Porém, o Aparato Policial (e obviamente temos plena consciência da necessidade de se oferecer melhor estrutura de trabalho e remuneração condigna com a nobreza de sua função) não pode eximir-se de realizar o seu papel com maior presteza. Sem desconsiderar as brachas da lei, no sentido jurídico da palavra, até que ponto os trabalhos de prevenção, repressão e investigação do crime, vêm ocorrendo a contento em Camaçari? Talvez o dia de ontem nos dê a resposta.
Fonte: Camaçari Fatos e Fotos 27/09/2011

Jogos equilibrados no Campeonato de Futebol.

 

O Campeonato de Futebol dos Metalúrgicos continua a todo vapor. Na última rodada, no dia 25 de setembro, a Inal marcou quatro gols em cima da Durit, que faz apenas um gol. A Manserv ganhou de um a zero para a Benteler. A rodada foi finalizada com um jogo equilibrado. A DHL saiu vitoriosa contra a Autometal: 3 a 2.

Próxima rodada - Dia 02/10


Metalbasa x Manserv Polo
Inal X IMBE
Manserv Candeias X Lear



27/09/2011

Bancários decretam greve na Bahia.

altComeça nesta terça-feira (27/09) a greve dos bancários por tempo indeterminado. Em assembleia, na noite desta segunda-feira (26/09), os empregados dos bancos públicos e privados decidiram, por unanimidade, paralisar as atividades nas agências de toda a Bahia, com participação forte nas cidades do interior. Nova assembleia está marcada para esta terça-feira, às 18h, no Ginásio de Esporte, para avaliar o primeiro dia do movimento.

Em decisão também unânime, mais de 100 funcionários do Desenbahia decidiram aderir à greve a partir desta terça-feira (27/09) durante assembleia nesta segunda-feira (26/07).

Os banqueiros oferecem 8% de reajuste salarial, ou seja, 0,56% de aumento real. A categoria reivindica 12,8% de reajuste salarial (sendo 5% de aumento real). O Comando Nacional considera a proposta baixa, principalmente se comparada aos altos índices de lucratividade. No primeiro semestre, as empresas alcançaram um lucro de R$ 27,4 bilhões.

Vale lembrar que o Brasil é o país que possui a maior taxa de juros do mundo. A Fenaban não deixou outra saída para os bancários, pois a oferta também não contempla avanços em relação às reivindicações de emprego e melhoria das condições de trabalho.
BANCOS PÚBLICOS
O processo negocial dos bancários da rede oficial vem sendo tratado com total descaso pelo governo, que prefere seguir a linha dura da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e se recusa a atender as reivindicações nas mesas específicas.

O Banco do Brasil e a Caixa sequer aceitaram voltar à mesa de negociação, na última sexta-feira (23/09), como sugeriu o Comando Nacional. Uma prova de que não estão nem aí para os problemas enfrentados pelos trabalhadores.

No BNB a situação não é diferente. O banco não demonstra vontade em negociar e, para completar, ameaça reduzir benefícios, como a PLR (Participação nos Lucros e Resultados). A direção da empresa quer pagar apenas 9%, diminuindo consideravelmente o valor conquistado em 2010, de 14%. Este ano, a luta é por 15%.


MOBILIZAÇÃO
A mobilização durante a campanha salarial do ano passado, deu origem à maior greve dos bancários dos últimos 20 anos. Um total de 344 agências foram fechadas na base do Sindicato da Bahia e, em todo o Estado, trabalhadores de 564 unidades bancárias cruzaram os braços em prol do movimento. Os números comprovam que a união fortalece a garantia de resultados positivos.

Fonte: Bancários da Bahia
27/09/2011

CTB vê avanço no aumento do aviso prévio para 90 dias.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (21) o Projeto de Lei que aumenta para até 90 dias o aviso prévio. Com a mudança, o benefício passa a ser proporcional, considerando que, além dos 30 dias, a cada ano de serviço o período aumenta em três dias. Para o presidente da CTB, Wagner Gomes, a decisão foi um avanço.

"Temos que lembrar esse projeto tramita em Brasília desde 1989. Nós defendíamos a proposta que ampliava em cinco dias o aviso prévio, a cada ano trabalhado. No entanto, essa medida já é um passo importante, especialmente para coibir a rotatividade”, afirmou o dirigente.


Segundo dados do Ministério do trabalho, apenas nos cinco primeiros meses desse ano, 8,1 milhões de trabalhadores foram demitidos no país. Com a aprovação na Câmara dos Deputados, por unanimidade, o projeto vai agora para sanção presidencial.

O presidente da CTB também destaca que será possível aos trabalhadores demitidos nos últimos dois anos entrarem na Justiça, assim que o Projeto for sancionado pela presidenta Dilma Rousseff. “É preciso fazer valer o retroativo, pois o trabalhador demitido tem direito a fazer reclamações trabalhistas nos dois anos seguintes à sua demissão”, lembrou Wagner Gomes.

Fonte: Mundo Sindical 27/09/2011

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Camaçari bem na fita? As manchetes sobre nossa Camaçari nos sites da região no dia de hoje 26/09/2011.


Ao visitar os sites de nossa região no dia de hoje, segunda feira (26), uma coisa chamou nossa atenção e com certeza a de boa parte da população Camaçariense. A cidade nossa cidade está entregue aos bandidos! Olhem os títulos das matérias em seus respctivos site todos do dia de hoje, e a prefeitura preocupada em fazer a festa da cidade e do aniversário do prefeito é mole ou quer mais? 
Socorro eu não quero morrer, atenção prefeitura de Camaçari.

Homens com coletes atiram contra casal na Gleba C



Tentativa de assalto frustrada leva a troca de tiros no centro de Camaçari


Jovem é baleado no pescoço em Camaçari



   Ladrões arrombam casa e levam bens em Camaçari



Ótica e Loja de informática são saqueadas na Radial A

Milhares de trabalhadores dos Correios ocupam as ruas do centro de São Paulo.

Em greve desde o dia 13, milhares de trabalhadores dos Correios foram às ruas, em diversos Estados, nesta sexta-feira (23), para reivindicar abertura das negociações da campanha salarial 2011.
A categoria reivindica a contratação imediata de todos os aprovados no último concurso público dos Correios, reposição da inflação de 7,16% e o aumento do piso salarial para R$ 1.635. Atualmente o piso dos ecetistas é de R$ 807, um dos menores dentre os servidores públicos.
Em São Paulo, uma imensa massa de ecetistas saiu em passeata pelas ruas do centro da cidade denunciando à população os baixos salários e as precárias condições em que atuam os trabalhadores dos Correios.
passeatas_correios_multidao
“Hoje as condições de trabalho nossas são precárias. Estamos trabalhando em dobro. Após o PDV (Pedido de demissão Voluntária), que aconteceu há dois anos, não houve novas contratações. Agora que eles estão começando a fazer o concurso público”, revela Elias Cesário, o Diviza, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos de São Paulo (Sintect -SP).
O dirigente revela a dificuldade que os trabalhadores têm enfrentado ao tentar negociar com a empresa e defender suas reivindicações. “Estamos abertos para negociar com a empresa, que fechou todos os canais de negociação. Um exemplo disso é que na grande mídia só o presidente coloca seu posicionamento. Dizendo que nós trabalhadores é que somos radicais. Mas estamos aqui para mostrar que estamos unidos em torno de nossas reivindicações”.
passeatas_correios_diviza
A CTB esteve presente, assim como diversos sindicatos de outras categorias, para unir forças com os ecetistas, que coloriram de amarelo e azul a região central.
Para Wagner Gomes (na foto acima ao microfone), presidente da CTB Nacional, presente no ato para levar apoio aos trabalhadores, o que falta é valorizar os serviços prestadores pelos ecetistas.
passeata_correios1
“O governo não tem dado o devido valor a esses trabalhadores que prestam um dos melhores serviços para a população. Eles têm um piso salarial baixíssimo, sofrem com o quadro defasado de funcionários. E preciso que o governo se conscientize dessa situação”, destacou Gomes.
A passeata, animadas por apitos, cornetas e tambores, começou na Praça do Correio, no Vale do Anhangabaú, percorreu as ruas do centro velho da capital paulista, passando pela Praça da República, até a praça da Sé, local de lutas históricas.
passeatas_correios_multidao2
"Pela primeira vez na história todos os sete Sindicatos do estado de São Paulo aceitaram nosso convite e participaram da atividade", afirmou com muito orgulho Diviza, que agradeceu o apoio e esforço de todos em se mobilizarem.
Durante o trajeto, os trabalhadores fizeram um protesto bem humorado, com o enterro simbólico das figuras da alta direção da ECT e do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que deu declarações ofensivas recentemente aos grevistas, e de maneira irônica dizendo que os ecetistas pensam estar em uma “colônia de férias”.
passeata_correios_greve
Também foi ‘enterrado’ o presidente da ECT, Wagner Pinheiro, um ex-sindicalista que tem demonstrado uma postura intransigente ao se negar em negociar com os trabalhadores.
“Está muito difícil negociar com esse governo, que piora ainda mais a situação com as declarações equivocadas que presta à imprensa. Isso não ajuda, apenas aumenta a revolta da categoria, que cada dia que passa adere ainda mais à paralisação”, revelou José Rivaldo da Silva, secretário-geral da Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos).
passeata_correios_palhaco
Nesta sexta-feira, em que completam 10 dias em greve, a categoria contabiliza mais de 85% do efetivo parado. “A greve está massificada. Mas queremos abrir o canal de diálogo com o governo. Se ele aceitar negociar os dias parados e o piso já vamos considerar um grande passo a caminho ao acordo”, declarou Rivaldo.
“Não queremos esmola, mas reconhecimento e a participação financeira merecida na Empresa que tem acumulado recordes de juros”, completou Diviza

Fonte: Portal CTB 26/09/2011

sábado, 24 de setembro de 2011

Audiência com a Ford e o Ministério Público Será dia 27



Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari formalizou pedido de Mediação junto ao Ministério Público do Trabalho da 5ª Região na tentativa de por fim ao impasse gerado pelo Complexo FORD que não pagou o reajuste salarial determinado pela Convenção Coletiva de Trabalho / data base dos metalúrgicos;

-A convenção Coletiva de Trabalho é instrumento normativo com força de lei que obriga todas as empresas da base (Camaçari) a cumprir todas as clausulas contidas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT);

-O Complexo Ford, composto de 17 empresas, englobando cerca de 10.000 empregados, empresas do ramo automotivo que obteve lucro crescente nos últimos anos não cumpre a sua obrigação legal de pagar o reajuste salarial da categoria, nem mesmo ao Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari as empresas forneceram  quaisquer justificativas não pagaram e pronto!

-Os empregados "cumpriram o seu dever de casa", trabalharam, produziram e geraram lucro para as empresas, a contrapartida de respeito e pagamento do reajuste salarial devido desde julho de 2011 por todas as empresas do Complexo FORD não foi pago;

-O Ministério Público do Trabalho realizará a audiência de tentativa de conciliação no dia 27 de setembro de 2011 na sede do Ministério Público do Trabalho;

-O Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari espera que as empresas ponham fim ao impasse e paguem de imediato o reajuste salarial da categoria, cumprindo assim o que determina a Convenção coletiva de trabalho (CCT).  

Informação departamento jurídico do sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari.

24/09/2011

JAC suspende abertura de fábrica no Brasil e chama governo de irracional.

Unidade brasileira tinha investimento previsto de US$ 600 milhões e poderia produzir 100 mil carros por ano, segundo Folha de S. Paulo. Empresa critica elevação do IPI.
A montadora chinesa JAC Motors congelou a abertura de fábrica no Brasil e considera que o aumento da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) fere as diretrizes da Organização Mundial do Comércio (OMC), diz reportagem do jornal Folha de S.Paulo nesta sexta-feira. De acordo com o texto, o investimento previsto era de US$ 600 milhões para produzir 100 mil veículos por ano.
Segundo uma resposta por escrito da JAC à Folha, a política do governo brasileiro em aumentar o IPI é "descontínua, irracional e parcial". Para a empresa, O Brasil abalou a confiança das empresas chinesas no país, uma vez que a montadora foi a que mais vendeu carros neste ano, cerca de 14,5 mil.
No mês de agosto, a JAC Motors anunciou uma nova fábrica prevista para 2014. De acordo com a companhia, seriam gerados 3.500 empregos diretos e mais 10 mil indiretos.
A JAC afirmou que o impacto no imposto visa a acabar com a concorrência justa e que não há subsídios para os carros chineses no Brasil.
Aumento do IPI sobre importados
No dia 16 de setembro, o governo publicou um decreto no Diário Oficial aumentando o IPI para carros importados, o que pode alterar em até 28% o preço final de carros feitos fora do Brasil. Pelos termos, as medidas beneficiam montadoras que chegaram há mais tempo ao Brasil e que estabeleceram estruturas produtivas, como é o caso de Volkswagen, Fiat, General Motors e Ford.
As regras afetam principalmente as montadoras asiáticas JAC, Chery e Kia.




Fonte: Folha 24/09/2011

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Vendas de veículos sobem 1,75% na 1ª quinzena do mês. 22 de Setembro de 2011.

Vendas somaram 151.808 unidades; Na comparação com a primeira quinzena de setemrbo de 2010 houve alta de 2,37% As vendas de veículos somaram 151.808 unidades nos primeiros quinze dias de setembro, o que representa uma alta de 1,75% em relação à primeira quinzena de agosto e de 2,37% ante igual período de setembro do ano passado. Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) e incluem automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

O segmento de automóveis e comerciais leves comercializou 142.490 unidades nos primeiros 15 dias de setembro, um aumento de 1,90% sobre a primeira quinzena de agosto e de 1,36% ante igual período do ano passado. As vendas de caminhões e ônibus, por sua vez, somaram 9.138 unidades na quinzena, com recuo de 0,42% sobre igual período de agosto, mas avanço de 20,79% sobre o mesmo intervalo em setembro de 2010.

A Fenabrave informa ainda que as vendas de motos e implementos rodoviários chegaram a 91.637 e 2.764 unidades, respectivamente, na primeira quinzena de setembro, com alta de 9,04% e 15,36%, sobre igual período de agosto. Na comparação com os primeiros 15 dias de setembro de 2010, as vendas de motos cresceram 10,80% e implementos registraram avanço de 11,41%.
Marcas
A Volkswagen liderou as vendas de automóveis na primeira quinzena de setembro, com 22,89% de participação, conforme dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). A Fiat aparece na segunda posição, com 21,09%, seguida de General Motors (GM), com 20,35%. A Ford, com 8,56%, e a Renault, com 7,74%, aparecem na sequência.

No segmento de comerciais leves, a Fiat tem fatia de 21,43%, a maior do mercado, seguida pela Volkswagen, com 14,09%. A GM aparece em terceiro lugar, com participação de 13,87%, seguida de Ford(8,40%) e Toyota (6,49%).
A Fenabrave informa ainda que o Gol, da Volkswagen, foi o modelo mais vendido nos primeiros 15 dias de setembro na categoria automóveis, com um total de 12.448 unidades. O segundo modelo mais vendido foi o Uno, da Fiat, com 11.205 unidades. O terceiro lugar é ocupado pelo Celta, da GM, com 6.575 unidades.

No segmento de comerciais leves, o modelo mais comercializado nos primeiros 15 dias de setembro foi o Fiat Strada, com 5.255 unidades, seguido pelo Saveiro, da Volkswagen, com 2.967 unidades, e o S10, da GM, com 2.045 unidades.

Fonte: InfoMet
22/09/2011

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Empresários querem a volta do horário de verão na Bahia. O que vocês acham disso? Vote na enquete ao lado.

Representantes do Fórum Empresarial da Bahia se reuniram, nesta terça-feira, 20, pela manhã, na sede da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), para discutir as possibilidades de adesão ao horário de verão no Estado ainda este ano.
A partir do dia 16 de outubro, as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste terão os relógios adiantados em uma hora. A Bahia não está entre os dez estados que realizam a alteração e busca reduzir o consumo de energia a partir do aproveitamento da luz solar – desde 2005.
Na ocasião, houve mobilização de setores da sociedade para que a mudança não ocorresse. De acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a redução gera economia de até 5%.
Para os gestores do Fórum Empresarial, a ausência do horário de verão traz reflexos negativos ao desempenho da economia, além de redução na produtividade.
“Nos reunimos com o governador e falamos sobre o assunto. Ele afirmou que iria falar com a presidente Dilma sobre o assunto. Achei a opinião dele lúcida e favorável”, afirmou o presidente da Fieb, Victor Ventin.

Fonte: A Tarde online. 21/09/2011




Roubalheira no Complexo Ford.


Denúncia grave. Trabalhadores que estão em serviço dentro da fábrica, comunicou que os armários dos vestiários estão sendo arrombados e roubados à luz do dia sem nenhuma inibição por parte dos ladrões. Segundo denúncia ao todo, são 14 armários arrombados e roubados todos os pertences dos trabalhadores, que saíram de férias coletivas no Complexo Ford. Isso é fruto da mudança do contrato da segurança da Ford, que reduziu o quadro de funcionários pela metade, mais uma vez a Ford demonstra que não tem nenhum compromisso com a segurança dos trabalhadores e os seus pertences.

21/09/2011

terça-feira, 20 de setembro de 2011

GM deve pagar adicional de periculosidade a abastecedor de veículos


A 6ª Turma do TRT-RS (Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul) manteve a sentença que condenou a GM (General Motors do Brasil) a pagar adicional de periculosidade a um empregado que realizava o abastecimento de carros novos. O caso foi julgado em primeira instância pela juíza Ingrid Loureiro Irion da 1ª Vara do Trabalho de Gravataí  e cabe recurso.

O abastecimento de veículos com combustível (agente inflamável) é enquadrado como atividade periculosa pelo anexo II da NR 16 (Norma Regulamentadora) do Ministério do Trabalho e Emprego.Conforme laudo pericial, o trabalhador gastava, em média, uma hora e 48 minutos por dia no abastecimento dos carros. De acordo com a relatora do acórdão, desembargadora Maria Cristina Schaan Ferreira, isso demonstra habitualidade e permanência na atividade, sendo devido o adicional.

A empresa argumentou, em sua defesa, que a quantidade de combustível utilizada era ínfima e que o trabalho era eventual. Alegou, ainda, que, neste aspecto, apenas trabalhadores de postos de gasolina estão protegidos pela legislação e que o empregado utilizava EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).

A relatora do acórdão, entretanto, mencionou que o fato do trabalhador não exercer exclusivamente a função de frentista e não trabalhar em posto de gasolina não impede a caracterização da atividade como periculosa.
Em sua argumentação, citou a Súmula 364 do TST (Tribunal Superior do Trabalho), que determina que "faz jus ao adicional de periculosidade o empregado exposto permanentemente ou que, de forma intermitente, sujeita-se a condições de risco".

Conforme a mesma Súmula, o adicional apenas não é devido "quando o contato dá-se de forma eventual, assim considerado o fortuito, ou o que, sendo habitual, dá-se por tempo extremamente reduzido".
Número do processo: 0040600-04.2009.5.04.0231 (RO)


Fonte: Ultima instância
20/09/2011

Ganho real é objetivo dos trabalhadores Metalúrgicos



Depois de o governo federal anunciar mais uma medida que beneficia as grandes montadoras de automoveis instaladas em território nacional, dentre elas, Ford, Wolks, GM, Fiat, Pegout e Renault.
Chegou a vez dos Trabalhadores Metalúrgicos de Camaçari  também fazer parte deste tipo de benefício. Nós exigimos das empresas valores que representem ganhos reais para os trabalhadores, compatíveis proporcionalmente, com os lucros que eles  remetem para suas sedes fora do país.
A Ford propõe um pacote que nele inclui: PLR, Jornada de trabalho com 40 min. de almoço, e Data Base de 6.8%. O sindicato negocia desde que seja uma jornada de trabalho justa para os trabalhadores, não esta que foi apresentada com 40 minutos de almoço. Outra questão importante são os valores, os números tem que refletir ganhos reais para os trabalhadores.


20/09/2011

Trabalhadores nas Autopeças reprovam 8,9% de reajuste salarial.

Os trabalhadores nas empresas Autoliv, Autometal e Gestamp, que compõem o grupo de empresas de Autopeças, reprovaram 8,9% de reajuste salarial em assembléia realizada na tarde desta quarta-feira, 14 de setembro.
A proposta foi feita pela bancada patronal na manhã desta quarta-feira e rejeitada na mesa.
A decisão dos trabalhadores mostra a insatisfação com as propostas que a bancada patronal vem apresentando nas negociações da Campanha Salarial 2011.
No último domingo, 11, os trabalhadores já haviam reprovado a proposta de 8,3%, quando também foi aprovado o estado de greve.
A reivindicação dos trabalhadores é de que a bancada patronal ofereça o mesmo índice conquistado pelas montadoras.
“Os trabalhadores nas Autopeças estão e permanecerão mobilizados e com disposição de luta, para que possamos sair vitoriosos nesta Campanha Salarial”, afirma a direção.
O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região representa 5.052 trabalhadores nas empresas de Autopeças (Grupo 3).
A Autoliv possui 1100 trabalhadores, a Gestamp conta hoje com 830 metalúrgicos e a Autometal tem 420 trabalhadores.

Pacote é reprovado nas autopeças de são José Pinhas

O setor de autopeças em São José dos Pinhas reprovaram a proposta do pacote apresentada pela empresa. Em assembléia liderada pelo SMC na porta de fábrica, os trabalhadores disseram não para os seguintes valores:
2011
Aumento salarial: 10,30% (aumento real + INPC)
Abono: R$ 3310,00
Abono natal: R$ 275,00
PLR: R$ 5.000,00 para 100% das metas e R$ 6.000,00 para superação
2012
Aumento salarial: INPC +3%
Abono: R$ 3.310,00 + INPC + 3%
PLR: 5.750,00 para 100% das metas e R$ 6.900,00
(Em caso de Zero Acidente em 2012, seria acrescido R$ 300,00)
Uma nova rodada de negociações será iniciada, ainda sem data definida.
A Benteler tem cerca de 270 trabalhadores fica no Parque Industrial de Curitiba (PIC da Audi), em São José dos Pinhais e produz auto peças.


Fonte SMC

Metalúrgicos da Faurecia Bancos e Escapamentos reprovam proposta da empresa.

Em assembléia liderada pelo SMC os metalúrgicos da Faurecia Bancos (Quatro Barras) e Escapamentos (São José dos Pinhais) reprovaram na tarde de hoje (19) a proposta de aumento salarial de 2011 do setor de autopeças. Eles disseram não para os seguintes valores:
- Aumento salarial: 10,30% (INPC 7 + 3.30 aumento real)
- Piso de R$ 1.217,00
- Abono de R$ 3.310,00
- PLR 2011 R$ 4.350
- Vale-refeição de R$ 220,60 (este reajustado em 10,03%)
Com a recusa uma nova rodada de negociações entre Sindicato e empresa será iniciada. As duas empresas somam cerca de 780 trabalhadores.

Fonte: SMC.

domingo, 18 de setembro de 2011

Chinesa JAC diz que IPI maior inviabiliza fábrica no Brasil


O presidente da JAC Motors no Brasil, Sérgio Habib, disse nesta sexta-feira que o decreto que aumentou o IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) para veículos importados inviabiliza a construção da fábrica da montadora chinesa no país.
O investimento previsto pela JAC nesta fábrica é de US$ 600 milhões.
"Do jeito que está hoje, fica inviável [a construção]", disse.

Habib ponderou que pretende negociar com o governo e que, por ora, o projeto não está suspenso.
"Só começaremos a produção no início do ano que vem, e até lá, as coisas podem mudar. E acho que vão mudar."
O executivo ressaltou, no entanto, que só poderá começar o projeto se houver "segurança jurídica de que seu investimento é viável economicamente".

Veículo da chinesa JAC Motors em concessionária no Rio
Veículo da chinesa JAC Motors em concessionária no Rio
Ele garantiu que, por enquanto, a JAC tem estoque superior a 30 dias, e que até lá, a empresa não irá aumentar o preço dos carros. "Não vamos repassar isso integralmente. Por enquanto nossos preços continuam os mesmos."
Segundo ele, a JAC pretende cortar custos em propaganda e margem de lucro das concessionárias e do importador.
Mais cedo, a Abeiva (associação dos importadores de veículos) afirmou que a medida é lobby da indústria automotiva brasileira contra o crescimento do comércio de carros importados no país.
O presidente da entidade, José Luiz Gandini, disse que a concorrência com os importados impede que as montadoras elevem os preços do veículos no mercado interno.
De acordo com a Abeiva, o consumidor deverá sentir o impacto do aumento do imposto maior no preço dos carros importados em cerca de um mês.
O ministro Guido Mantega afirmou ontem que a mudança pode representar reajuste de 25% a 28% nos preços para carros que não atenderem às exigências.

PREÇO E PRAZOS

O decreto 7.567, que regulamenta o aumento do IPI para veículos importados ou que não atendam a novos requisitos de conteúdo nacional, foi publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial da União e começou a valer.
Entre as determinações exigidas pelo governo, está a utilização de 65% de componentes fabricadas no país nos carros, realização de investimentos em inovação, pesquisa de desenvolvimento tecnológico no país, correspondente a 0,5% da receita bruta total de vendas de bens e serviços.
As empresas também terão que atender, em 45 dias, pelo menos seis de 11 etapas de produção definidas pelo governo. Entre elas, fabricação de motores e montagem de chassis.


Durante os 45 dias, todas as montadoras estão habilitadas provisoriamente ao novo regime automotivo e o imposto continua nos níveis atuais, mesmo para as importadoras.
O decreto também determina que o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior será o responsável por fazer a habilitação definitiva dessas fábricas.
Caso seja constatado que elas não cumprem as exigências determinadas pelo governo elas terão de recolher posteriormente a diferença de IPI referente a esses 45 dias.
A associação também irá publicar, amanhã, uma carta aberta endereçada à presidente Dilma Rousseff afirmando que a medida é inconstitucional e que fere o bolso do consumidor brasileiro.

Fonte: Folha
18/09/2011

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Trabalhadores da Toyota aprovam proposta



Os trabalhadores da Toyota aprovaram nesta terça-feira (13) a proposta patronal de reajuste salarial de 11%, sendo 3,35% de aumento real mais a 7,4% de reposição da inflação, mais abono de R$ 2.800.

O acordo tem validade a partir de 1º de setembro.


16/09/2011

Desenvolvimento só se dará com fortalecimento do mercado interno


Só seremos um país desenvolvido quando a política brasileira fortalecer o mercado interno, reduzir os juros, valorizar o salário mínimo, aumentar o financiamento do BNDES e diminuirmos as desigualdades sociais. Com esta frase, Márcio Pochmann abriu o Seminário “A Valorização do Trabalho na nova Política Industrial Brasileira”, realizado em 12 de setembro pela Fitmetal na Câmara dos Deputados, em Brasília/DF.

O presidente do IPEA destacou que a maioria política trabalha com dois projetos contraditórios, um seria o Brasil da Fama, que defende as commodities e altas taxas dos juros e, um Brasil do Vácuo que defende o valor agregado e o conhecimento tecnológico na cadeia produtiva.

Pochmann diz que outra estratégica de desenvolvimento deve ser a defesa nacional da indústria e o investimento desta com a inovação da ciência e tecnologia voltadas para o trabalhador. 


Segundo o professor da Universidade Federal da Bahia, Renildo de Souza, o país tem vários problemas, mas a maior está na falta de financiamento do crédito interno. “Nosso sistema bancário é concentrado no lucro em curto prazo e não no investimento financeiro do crédito na produção”, avaliou o professor Renildo.

O professor alertou sobre o absurdo que existe no Brasil, quando apenas só 5% dos técnicos em pesquisas tecnológicas estão no Nordeste e 90% concentradas no Sudeste e Sul do país. O país precisa ter competitividade tecnológica, investir na formação do trabalhador, pois enquanto exportamos bens primários para a China, o Japão exporta aos chineses, máquinas sofisticadas com alta tecnologia.

Em sua participação, o deputado Assis Melo, PCdoB/RS e dirigente do Sindmetal de Caxias do Sul, que será o interlocutor entre os trabalhadores e o legislativo, foi enfático ao afirmar que o desenvolvimento do país passa pela industrialização e valorização do trabalho. 

No período da tarde as palestras tiveram a presença de Airton dos Santos, técnico do Dieese; André Luís dos Santos, assessor do Diap; Alexandre Comin, diretor do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; deputado Assis Melo; Nivaldo Santana, vice-presidente da CTB; Luiz Gonzaga de Negreiros, diretor da CGTB. 

“Ao final deste evento pretendemos elaborar um documento especial sobre as discussões e deliberações deste Seminário como contribuição a este novo processo”, esclarece o presidente da Fitmetal, Marcelino Rocha.

Participaram do evento o Deputado Federal Assis Melo (PCdoB-RS), comissão parlamentar em defesa do desenvolvimento econômico e da valorização do trabalho, Alexandre Comin, Ministério da Indústria e Comércio, Marcio Pochmann, presidente do IPEA, Renildo Souza, professor de economia da UFBA, e Nivaldo Santana, da CTB, além da CGTB e do DIAP. Os Metalúrgicos da Bahia também foram representados pelos dirigentes Adson Batista, Natan Batista, Pergentino Bonfim, Julio Bomfim e Aurino Pedreira, secretário Norte/Nordeste da FITMETAL.


16/09/2011

Governo aumenta em 30% IPI de montadoras de carros importados


Em audiência realizada nesta quinta-feira (15) com a CTB e outras centrais sindicais, os ministros da Fazenda Guido Mantega, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, e da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, anunciaram medida emergencial de proteção à indústria automobilística nacional.


O governo anunciou na quinta-feira a elevação do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) para veículos importados ou que não atendam a novos requisitos de conteúdo nacional. A medida vale a partir de hoje.

As empresas, no entanto, terão dois meses para provar que atendem às novas regras. Nesse prazo, o imposto continua nos níveis atuais, mesmo para as importadoras.

A mudança pode representar reajuste de 25% a 30% nos preços para o consumidor que comprar um carro que tenha menos de 65% de componentes fabricadas no país.

Serão afetados automóveis, caminhões, caminhonetes e veículos comerciais leves. Deve encarecer, principalmente, carros chineses, coreanos e de luxo.
O IPI sobe 30 pontos percentuais. Atualmente, o tributo varia de 7% a 25%, dependendo da potência e do tipo de combustível. Agora, ficará entre 37% e 55%.

Para as montadoras que cumprirem a nacionalização exigida, não haverá mudança do imposto.

Além do percentual de componentes nacionais, as montadoras precisam fazer investimentos e deverão realizar no Brasil pelo menos 6 de 11 etapas de produção definidas pelo governo. Entre elas, fabricação de motores e montagem de chassis.

A estimativa do Ministério da Fazenda é que entre 12 e 15 montadoras não devem ter alta de imposto, principalmente as que estão há muito tempo no país.

Como o Brasil tem acordo automotivo com a Argentina e o México, componentes desses países não serão considerados como importados. Por isso, o governo estima que cerca de metade dos veículos importados terá aumento de imposto e preço.

A medida vigora até dezembro de 2012 e faz parte do plano Brasil Maior, anunciado no mês passado pela presidente Dilma Rousseff.

Fonte: UOL
16/09/2011

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

COMUNICADO AOS TRABALHADORES.

COMPANHEIROS,

A FORD, CONTINUA COM A SUA SOBERBA E ARROGÂNCIA ZOMBANDO COM TODOS OS TRABALHADORES. EM RELAÇÃO ÀS MOBILIZAÇÕES, NÃO FIZEMOS NENHUMA PARALIZAÇÃO ATÉ EM CONCORDÂNCIA COM OS COMPANHEIROS PELO GRANDE VOLUME DE CARROS DENTRO E FORA DA FÁBRICA COM DOIS PÁTIOS CHEIOS ALUGADOS PELA FORD, UM EM CANDEIAS E O OUTRO EM DIAS D’ ÁVILA. SOMOS SABEDORES DA REALIDADE E QUANTIDADE DE CARROS DENTRO DA FÁBRICA.

SABEMOS QUE A FORD TENTOU PROVOCAR UMA GREVE, MAS NÃO CAÍMOS NA SUA ARMADILHA. TUDO ISSO É REFLEXO DA ZONA DE CONFORTO DELA, COM GRANDE QUANTIDADE DE CARROS EM ESTOQUE.

FOI RUIM NÃO TER FECHADO A DATA BASE E NEM O BÔNUS, MAIS SERIA MUITO PIOR TER FEITO UMA GREVE, FICAR DEVENDO DIAS E NÃO AVANÇAR EM NENHUMA PROPOSTA DIGNA PARA NÓS TRABALHADORES.

ESTAMOS COM A REPRESENTAÇÃO NO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO E ESPERANDO O ESVAZIAMENTO DOS PÁTIOS, PARA AI SIM, FAZERMOS UMA MOBILIZAÇÃO EFICAZ, QUE REALMENTE TRAGA ALGUM RESULTADO. REFERENTE AS REUNIÕES, A EMPRESA NÃO CHAMOU O SINDICATO PARA NENHUMA OUTRA REUNIÃO.

PEDIMOS A TODOS CALMA, VAMOS VENCER ESSA LUTA COM AJUDA DE DEUS E A FORÇA DE TODOS.

METALÚRGICOS DE CAMAÇARI.
13/09/2011

Autometal fundo de quintal!

Mais uma vez a Autometal fundo de quintal sai na frente em reclamações, nesta última semana de trabalho ela simplesmente colocou todos os trabalhadores para fazer periódico novamente, haja vista que já haviam feito no decorrer do ano, e o que é pior em um ônibus de uma determinada clínica (humanas) de Camaçari caindo aos pedaços, com a temperatura quente e expondo os trabalhadores a vários constrangimentos. O Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari pergunta, o que a Autometal está pretendendo com isto? 
Existe informação que a Autometal fundo de quintal, ameaça os trabalhadores dizendo que no retorno das férias acontecerá demissões.
O Sindicato exige que os trabalhadores sejam tratados com respeito e dignidade.


14/09/2011

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Complexo Ford: Trabalhadores sem transporte.

Depois de ter anunciada as férias coletivas no Complexo Ford, as empresas que gerenciam a manutenção dos prédios, não terão direitos ao transporte para suas atividades laborais. A Getrans que era ruim a cada dia fica pior, o Sindicato dos Metalurgicos nestas últimas semanas de trabalho lutou para garantir aos trabalhadores da manutenção transpote aos municipios circuvizinhos como Mata de São João, São Sebastião, Pojuca, Catu e Alagoinhas, que aliás todos nós trabalhadores e Sindicato lutamos e conquistamos transporte para estas localidades,e agora a Ford não assume o que fala, estes trabalhadores de várias empresas irão trabalhar como? Pagando do próprio bolso? Que aqui fique bem claro para todos que o que ocorrer com estes é de responsabiliade das empresas contratantes, pois a partir do momento que foi adquirido o transporte o mesmo tem que cumprir o acordado em férias coletivas ou não.


13/09/2011          

AGRADECIMENTOS DE AJUDA A EDICARLOS‏.

Gostaria de agradecer a todos que participaram da campanha de alimentos para Edicarlos que trabalha na Pintura/Ford turno da noite.
Todos abraçaram a causa ao companheiro que está se recuperando de um grave acidente que ocorreu com ele no São João, na linha verde e que está passando por um momento muito difícil.
Com muito empenho o prédio da Pintura, Montagem do escritório ao chão de fábrica, ajudaram de forma que emocionou a todos que presenciaram a quantidade de alimentos nesta campanha.
Obrigada! E que Deus multiplique em bençãos a todos, em suas vidas e também a de  suas famílias!
Quem puder e quiser colaborar, participe através da conta corrente abaixo. Que Deus abençoe!


13/09/2011

Compartilhe em suas redes sociais

Twitter Orkut Facebook Digg Stumbleupon Favoritos Mais