quarta-feira, 26 de abril de 2017

MetalClube não funcionara na sexta feira dia 28 por causa da greve geral nacional.

Atenção: Por motivo da greve geral nacional dia 28 sexta feira, o MetalClube não irá funcionar. 

Sábado domingo e segunda-feira feriado do 1 de maio dia do trabalhador, funcionaremos normalmente.
No domingo estaremos com a banda (Dan samba simpatia) fazendo a festa no MetalClube. 

sábado, 8 de abril de 2017

STIM Camaçari mobiliza a Ford e anuncia greve geral nacional dia 28 de abril


Não havia nem amanhecido o dia quando os sindicalistas começaram a organizar a assembléia geral. O principal objetivo desse encontro é conscientizar, mobilizar e esclarecer pontos das questões trabalhistas mais polêmicas do país na atualidade.
Vídeo da mobilização na frente da fábrica da Ford, rumo a greve geral nacional dia 28! Veja o vídeo:
Presidente do STIM Camaçari, Julio Bomfim apresentou dados que comprovam a eficácia diferenciada do sindicato. Cidades de grandes estados como São Paulo e Rio Grande do Sul não alcançam a gama de benefícios, teto salarial e efetividade nas negociações como Camaçari.

E foi munido com essas informações que o sindicato, que já fechou a pauta de negociações até 2018, fez um chamamento para a greve geral do dia 28 de abril. Os militantes argumentam que até o acordo que foi instituído com o patronato corre risco. Isso porque as propostas que tramitam atualmente podem minar esses acordos.

“Não é porque já fechamos as negociações do período que vamos nos acomodar. Mesmo porque tudo pode ruir com essas novas leis, que rechaçam a CLT e promovem um retrocesso de mais de 50 anos, dizimando a historia de conquistas da luta sindical”, desabafa Julio.
Contra a terceirização, a reforma previdenciária e os números alarmantes do desemprego no país, a greve não abrange apenas o setor metalúrgico, mas sim a todos os segmentos. O convite é geral, para todos os trabalhadores e inclusive os desempregados. A expectativa é que a mobilização chame atenção do governo e suspenda o trâmite de algumas propostas.

Além dos funcionários do primeiro turno, estiveram presentes na assembléia geral vários representantes sindicais: Adilson Araujo, Presidente Nacional da CTB, Pascoal Carneiro, Secretario Nacional de Previdência da CTB e Everaldo vieira, Coordenador Regional da Central dos Trabalhadores, além de outros militantes locais. Todos reforçaram o chamamento e a importância dessa mobilização global.
*_Destaque:_*
_O sindicato dos metalúrgicos de Camaçari é reconhecido por sua atuação vanguardista. O presidente já viajou a outros países para palestrar sobre os resultados do sindicato. Além das grandes conquistas salariais e no chão de fábrica, o sindicato investe em educação e lazer para os associados.

_O Metal Clube, que oferece o que há de melhor em termos de estrutura é um dos grandes feitos, além do projeto “Educação também é com a gente”, que oferece curso pré vestibular para associados e familiares, com um time de peso da educação estadual liderado por Jorge Portugal.

*Em tempo:*
· Diferencial conquistado pelo STIM Camaçari:
· São 3.600 funcionários diretos da Ford (A GM Montadora está demitindo 1.700);
· Maior salário (média de R$2.920)do país;
· Maior PLR (R$ 17.875) do país;
· 100% de benefícios;
· Único sindicato no Brasil que garantiu o abono salarial (R$ 3.600,00);
· Melhor carga horária: aqui a classe trabalha 40 horas semanais – em outros estados são 44hs.

Redação: Ana Fabricia

terça-feira, 4 de abril de 2017

Trabalhadores precisam ocupar as ruas para derrotar as reformas absurdas de Temer

Basta apenas o povo se conscientizar e partir para luta para começar a modificar a realidade à sua volta. Mas, enquanto insistir no comodismo, vai ficar difícil mudar o mundo ao nosso redor. Por exemplo: durante uma greve,  tem trabalhador que prefere dar benção ao capeta do patrão do que participar de uma assembleia com seus colegas e lutar pelos seus direitos. Aí, fica difícil! 
É complicado ver tanta gente sair às ruas no Carnaval, ir atrás de um trio elétrico, apesar de tanta violência, mas se “esconder” na hora de se envolver na luta por melhores condições de trabalho, participando das mobilizações do chão de fábrica.
É inacreditável como, de uma maneira geral, milhões de pessoas não ocupem as ruas num momento tão crucial como o que vivemos hoje: da extrema necessidade de evitar a aprovação de duas reformas (Previdência e Trabalhista) que só têm o objetivo de acabar com nossos direitos históricos. É o nosso futuro que está em jogo. E é preciso mais consciência dos trabalhadores para reverter esse quadro. 
Ou a classe trabalhadora se rebela de vez e ocupa as ruas de fato, ou vamos sofrer com as restrições e exploração que o governo Temer tentar enfiar nossa goela abaixo. Não podemos permitir isso. 
A sensação é que o brasileiro sempre fica no comodismo esperando pelos outros. Mas, se essa postura não mudar, vamos ser destroçados. Independentemente de partidos políticos e centrais sindicais que estão à frente das manifestações. 
Por outro lado, claro que há o descrédito também em alguns setores do movimento sindical. Mas, nem por isso deixamos de fazer e ser uma referência no Brasil aos trabalhadores de luta a favor de melhores conquistas com garantia de não demissões em massa. Hoje, até para muitos que não acreditavam mais em sindicatos no Brasil, pegam o Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari como referência em luta. Exemplo que não são os partidos culpados e nem tão pouco os sindicatos e centrais sindicais, mas sim pessoas que têm que ser retiradas e substituídas por gente nova, comprometida com o povo. 
Um exemplo positivo aqui em Camaçari é o Sindicato dos Metalúrgicos. Essa chapa do Sindicato eleita pelos trabalhadores está fazendo um excelente trabalho e teve a competência como em Camaçari em eleger dirigentes do sindicato, que hoje faz a melhor gestão do Brasil e é referência até em outros países como modelo de excelência na gestão sindical.
 Importante também eleger novos políticos que confiamos ou conhecemos das lutas, para que se possa mudar a política no Brasil como mudamos o modelo de gestão sindical em Camaçari. 
Mudar o Brasil é um dever de todos nós! Contra a retirada de direitos e fora Temer!! 

* Júlio Bonfim - Pres. do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari

04/04/2017

quinta-feira, 16 de março de 2017

Marcha reúne mais de 50 mil contra a reforma da previdência em Salvador

Mais de 50 mil pessoas participaram de uma grande marcha contra a reforma da previdência na tarde desta quarta-feira (15/3), em Salvador. A caminhada começou no Campo Grande e segui pelas ruas do Centro até a praça Castro Alves, reunindo estudantes e trabalhadores de diversas categorias, em um ruidoso protesto contra as propostas de reforma em tramitação no Congresso Nacional, que retiram direitos dos trabalhadores. Muitas pessoas vieram do interior do estado para participar das atividades do Dia Nacional de Luta e paralisações.
A multidão era tanta que a marcha contou com a presença de dois trios elétricos e um carro de som, onde as lideranças sindicais e dos movimentos sociais se revezaram para alertar à população sobre os perigos da reforma  da previdência proposta por Michel Temer, que aumenta o tempo de contribuição, institui a idade mínima de 65 anos para o acesso ao benefício e desconsidera a importância de regras especiais para aposentadoria dos trabalhadores rurais e professores, por exemplo, que são submetidos a condições diferenciadas de trabalho.























lideranças falaram ainda da reforma trabalhista e dos projetos que tratam da terceirização, que também serão prejudiciais, caso sejam aprovados. “A reforma da previdência é um ponto muito importante, mas não podemos deixar de repudiar também a reforma trabalhista, que quer estabelecer a prevalência do negociado sobre o legislado e flexibilizar diretos importantes como férias e jornada de trabalho”, alertou o presidente da CTB Bahia, Aurino Pedreira, lembrando também dos projetos que permitem a terceirização geral e irrestrita, além das ameaças à Justiça do Trabalho.

A marcha marcou o final de um dia de intensas manifestações na cidade, que começou com um protesto na região do Iguatemi, uma das mais importantes da capital, e que reuniu cerca de 10 mil pessoas durante mais de 4 horas de protestos durante a parte da manhã.
Professores das redes pública e privada, bancários, comerciários, servidores públicos, trabalhadores da construção civil e de outros segmentos também realizaram atividades em suas bases, paralisando a atividade durante alguma parte do dia.
Os protestos também tiveram forte adesão no interior do estado, com a realização de manifestações em cidades como Feira de Santana, Ilhéus, Jequié, Itabuna, Juazeiro, Porto Seguro, Vitória da Conquista e Eunápolis, sempre com a presença de um expressivo número de trabalhadores de diversas categorias.

16/03/2017 


Trabalhador sofre acidente grave na Estamparia do Complexo Ford


Um acidente ocorrido na noite do último dia 2 de março, na Estamparia da Ford, poderia ter tirado a vida de um trabalhador. Segundo o Sindicato, devido a um desvio de processo no sistema de segurança, o funcionário foi atingido dentro da célula por um robô que não deveria ter se movimentado. 

Atingido no corpo, o trabalhador foi jogado ao chão, sofrendo um corte na cabeça. Ele acabou levando  sete pontos. A situação teria sido pior se o funcionário tivesse sido atingido diretamente na cabeça, pois a força do impacto seria forte e dificilmente iria sobreviver. Este tipo de acidente envolvendo desvios nos processos de segurança da empresa vem se repetindo com frequência, causando uma imensa preocupação entre os trabalhadores e o Sindicato.

Por isso, de imediato, o Sindicato, em reunião com a Ford, solicitou um relatório completo dos motivos que causaram o acidente, assim como as medidas que serão adotadas para evitar novas ocorrências no chão de fábrica. 
“Comunicamos a situação à Superintendência  Regional do Trabalho e Emprego e ao Ministério Público do Trabalho. Vamos continuar lutando para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores, exigindo da montadora condições de trabalho dignas e seguras”, diz Júlio Bonfim, presidente do Sindicato.

16/03/2017

Mobilização contra abusos da Autometal

O Sindicato realizou nesta segunda-feira (6), um ato de mobilização com os trabalhadores do primeiro turno, como forma de protesto por causa das práticas irregulares que a Autometal tem adotado no chão de fábrica.

Ao invés de contratar novos funcionários, a Autometal tem praticado desvio de função. A empresa utiliza trabalhadores do ADM em atividade nas portas de Máquinas Injetoras. Tem ainda funcionários terceirizados na linha de produção. Apesar das denúncias, a Autometal parece desafiar as leis do trabalho. No setor de Pintura tem mais irregularidade: horas extras excessivas, em jornadas desumanas que começam as 6h e só terminam as 19h. 
O Sindicato está encaminhando denúncia aos órgãos competentes do trabalho, para que a empresa reveja suas práticas no chão de fábrica e respeite os trabalhadores e seus direitos.
Caso a Autometal não mude essa postura, o Sindicato vai intensificar ainda mais as mobilizações na fábrica junto com os trabalhadores.

16/03/2017

Sindicato recepciona trabalhadores da GE que estavam em lay off

Trabalhadores da GE, antiga Alstom, foram recepcionados pelo Sindicato com uma grande assembleia, realizada na porta da empresa. Os funcionários estão retornando do período de lay off, graças ao trabalho desenvolvido pelo Sindicato que garantiu a empregabilidade não só dos trabalhadores da GE, mas de toda rede metalúrgica em Camaçari. O vereador Binho do 2 de Julho, parceiro da categoria, também participou do ato e felicitou os funcionários.

O Sindicato ressaltou a importância da implementação do lay off e o quanto isso foi fundamental para preservação dos postos de trabalho na GE, mostrando que os metalúrgicos em Camaçari conseguiram superar o desemprego desenfreado que toma contra do Brasil por causa do agravamento da crise na economia.
“É muito gratificante saber que na base de muita luta e negociação esses trabalhadores da GE estão com os empregos garantidos, assegurando o sustento das suas famílias”, explica Júlio Bonfim, presidente do Sindicato.

16/03/2017

Março Mês das mulheres metalúrgica

Março: mês de luta e conscientização neste mês de março, quando transcorrem as comemorações pelo dia Internacional das Mulher, é fundamental reforçar as bandeiras de luta: pela implementação de políticas (partidária, sindical e pública), promovendo o empoderamento das mulheres e contra retrocessos.
O Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, através da Secretaria da Mulher, tem feito forte trabalho de conscientização no chão de fábrica.

Fazem parte da Secretaria as diretoras Ângela, Sônia, Sandra, Maria, Rosângela, Denise, Patrícia e Jesuíta. Ocupando o cargo de secretária da mulher a companheira Ângela Arcanjo.


A luta busca maior participação das mulheres nos sindicatos e nos cargos de decisão, ampliação, fortalecimento e a inserção da mulher em todos os espaços de poder por meio de atividades, campanhas institucionais e de sindicalização, construção de uma nova sociedade, com mais participação no mercado de trabalho, com igualdade de direitos.

10/03/2017

Compartilhe em suas redes sociais

Twitter Orkut Facebook Digg Stumbleupon Favoritos Mais