sábado, 25 de abril de 2015

Lutemos contra a traição e a escravidão

O Projeto de Lei 4.330/04, relatado pelo deputado Arthur Maia (Solidariedade-BA) e aprovado na Câmara dos Deputados quarta-feira, 22, consagra a terceirização ampla, geral e irrestrita da economia brasileira, estendendo-a a 100% das atividades-fim. Se for transformado em realidade significará a maior derrota da classe trabalhadora desde o golpe de 1964.
Quem imaginou que teríamos chance na votação dos destaques pode constatar que a emenda saiu pior que o soneto, conforme sugere o ditado popular. O PL eleva ao grau mais elevado da nossa história a escravidão do trabalho assalariado, submetendo mais de 50 milhões de trabalhadoras e trabalhadores brasileiros à exploração e ao tacão de dois patrões, redução de salários, direitos e benefícios, discriminação nos locais de trabalho, maior incidência de doenças, acidentes e mortes.
É a sepultura da CLT e o reino da total insegurança jurídica para a classe trabalhadora, visto que as gatas (empresas que alugam a força de trabalho) têm como norma de conduta a burla dos direitos sociais e as empresas contratantes das terceirizadas não terão responsabilidade solidária sobre débitos trabalhistas.
Somente quem ainda acredita em Papai Noel pode pensar que o monstrengo aprovado na Câmara Federal, com o apoio maciço da direita neoliberal (PSDB, DEM, PPS e cia) e do Solidariedade (liderado pelo Paulinho da Força), será bom para o povo.
O projeto aprovado no dia 22 de abril contraria os interesses da ampla maioria da nação brasileira, é um projeto lesa-pátria que subordina direitos trabalhistas aos interesses do rentismo, do latifúndio, dos grandes empresários, do lucro máximo. Trata-se de um profundo retrocesso social, que ameaça remeter as relações sociais entre patrão e empregado de volta ao início do século XX em nosso país, quando inexistiam direitos do trabalho.
Não podemos permitir a legitimação e generalização do trabalho precário no Brasil. Vamos intensificar o árduo trabalho de conscientização das bases sindicais e da sociedade sobre o que está em jogo no Congresso Nacional, realizar grandes manifestações no 1º de Maio e preparar o Dia Nacional de Lutas e Paralisações para o final do mês de maio. E, se não houver solução para o problema, o caminho será a construção de uma greve geral para impedir que este golpe traiçoeiro desfechado pelo patronato contra a classe trabalhadora seja consumado. E nesta tarefa de convencimento, esclarecimento e elevação da consciência de classe do nosso povo não podemos abrir mão de denunciar a traição. Esta não merece perdão.
Adilson Araújo
Presidente da CTB Nacional

"Reduzir a maioridade penal é entregar o ouro ao bandido"

Assim que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171, que reduz a maioridade penal de 18 anos para 16 anos, o movimento popular, sentindo o baque, saiu às ruas contra essa tentativa de vingança e punição aos jovens pobres, comandada pela imprensa burguesa. ”O jovem é muito mais vítima da sociedade do que seu algoz”, defende Vítor Espinoza, secretário da Juventude Trabalhadora da CTB. “Cerca de 50 mil jovens negros são assassinados por ano no país. É isso que o Congresso e a sociedade precisam enxergar. A juventude brasileira precisa de espaço para expressar-se livremente e em segurança precisa de escola, de saúde, de cultura, de esporte, de lazer, não precisa de cadeia”, reforça.
O jornalista Tiago de França da Silva afirma que o recado dado por eles é claro: “não queremos assumir nenhum compromisso com vocês. Se vocês não estão dando conta de lidar com a falta de oportunidades na vida e ingressam no mundo do crime, o que temos a oferecer são as prisões, para nelas vocês aprenderem, pelo menos, a serem criminosos profissionais”. Já para o jovem blogueiro Johnny Brito “a ‘bancada da bala’ enxerga com clareza a violência que atinge principalmente as classes mais favorecidas da população. Mas se nega contundentemente a realizar uma análise real de suas causas. Nega-se a ver as centenas de milhares que são mortos todos os anos na periferia, nega-se a ouvir os apelos da anistia internacional para que parem de assassinar a juventude”.

CTB protesta no aeroporto de Salvador contra o PL4330


Dirigentes da CTB e sindicatos filiados se reuniram no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães, em Salvador, para protestar contra o PL 4.330. A mobilização começou por volta das 5h desta quarta-feira e durou cerca de duas horas. O objetivo foi fazer um corpo a corpo com os parlamentares para sensibiliza-los para os prejuízos do projeto, que já foi aprovado pelos deputados no dia 8. Mas ainda falta a análise de sugestões de alteração (emendas) no texto original. A previsão é que a Câmara conclua a votação nesta quarta.

Fonte: CTB

quinta-feira, 23 de abril de 2015

CONVITE

CONVITE 

PROJETO: MULHER EXPERIÊNCIA E SABER 
TEMA: AUTONOMIA E CIDADANIA
ENCONTRO DE MULHERES CAMAÇARIENSES
DATA: 25/04/2015
LOCAL: CLUBE DOS METALÚRGICOS DE CAMAÇARI (JAUÁ CAMAÇARI - BA)
HORÁRIO DAS 08:00 ÁS 17:00 NO AUDITÓRIO DO CLUBE (COM DIREITO A CERTIFICADO) 

APOIO: SINDICATO DOS METALÚRGICOS DE CAMAÇARI E CTB CENTRAL DOS TRABALHADORES DO BRASIL.

terça-feira, 21 de abril de 2015

Sindicato inicia negociação da PLR, abono e renovação das 40hs

O Sindicato filiado a CTB chapa 1, deu início na semana passada às negociações com o Complexo Ford sobre PLR, abono e renovação da jornada de trabalho de 40 horas semanais, entre outros pontos. O início das conversas só foi possível após mobilização, como a paralisação realizada no último dia 9, no prédio da Montagem.

Nesta primeira reunião, os dirigentes sindicais já deixaram clara a necessidade de uma negociação justa, que atenda aos anseios dos trabalhadores, os principais responsáveis pela lucratividade da montadora.

Nos últimos anos, os acordos firmados pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, com apoio fundamental do chão de fábrica, se tornaram referência em todo país. A PLR, por exemplo, tem sido um exemplo positivo no setor automotivo no Brasil. Isso é fruto do envolvimento dos trabalhadores e da habilidade do Sindicato na mesa de negociação. 

Este ano, não será diferente. A expectativa é fechar um acordo que contemple os trabalhadores. Juntos, somos mais fortes!

21/04/2015
Stim CTB Chapa 1


sábado, 18 de abril de 2015

MetalClube funcionará no feriado ponte!

No feriado de Tiradentes  20 e 21 o clube estará em funcionamento normalmente.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

OS BURACOS DA FORD E DE ADEMAR PODEM MATAR TRABALHADORES


Apesar dos inúmeros acidentes, o problema continua sem solução. Os imensos buracos que tomam conta da avenida Henry Ford, que dá acesso ao Complexo Ford, em Camaçari, estão tirando a paciência dos motoristas e trabalhadores.

Constantemente são registrados acidentes no local, colocando em risco a vida, principalmente, dos trabalhadores da montadora, que passam ali diariamente. Só para se ter um a ideia do perigo, mais de dez carros já chegaram a ter os pneus rasgados em um curto espaço de tempo.
E sem manutenção, cada vez mais os buracos se multiplicam e se transformam em imensas crateras, com grande extensão e profundidade. O Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari cobra uma solução há muito tempo, mas até agora o Complexo Ford e a prefeitura de Camaçari não se mobilizaram para viabilizar o conserto da pista, que ironicamente leva o nome do fundador de uma das maiores empresas de fabricação de carros do mundo. O sindicato dos Metalúrgicos filiado a CTB chapa 1 estará mobilizando os trabalhadores contra esse descaso da Ford e da prefeitura de Camaçari.

Fonte: Stim CTB
17/04/2015

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Metalúrgicos junto com a CTB participam dos protestos contra a terceirização

Desde as primeiras horas desta quarta-feira (15), trabalhadores de diversas categorias promovem diversas ações, em Salvador e Região Metropolitana, dentro da paralisação nacional contra o projeto de lei da terceirização.  
Em Camaçari, os metalúrgicos fizeram protestos em vários pontos da cidade: Via Parafuso; Viaduto dos Trabalhadores; Rotatória do Polo Petroquímico e Rotatória Mangueira.
Com faixas, cartazes e carros de som, os trabalhadores chamaram a atenção para os prejuízos do projeto de lei 4330, que permite a terceirização de toda e qualquer atividade no país. O PL foi aprovado na Câmara dos Deputados e se virar lei vai ampliar ainda mais a precarização das relações de trabalho no Brasil.

O Complexo Ford também teve as atividades paralisadas na manhã desta quarta. Segundo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, Júlio Bonfim, o momento é de mobilização total para evitar esse retrocesso. “Não podemos permitir esse absurdo. Uma coisa é regulamentar a terceirização, que já existe. Outra completamente diferente é permitir que as empresas terceirizem qualquer atividade. Isso é perda de direitos para quem sempre trabalhou protegido pela CLT”, explica Júlio Bonfim.

As manifestações que aconteceram hoje foram convocadas pelos movimentos sociais e a as centrais sindicais. A CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) condena a aprovação do projeto e diz que se preciso a classe trabalhadora vai apelar para a presidente Dilma Rousseff. “Se esse retrocesso foi mantido no Congresso Nacional, nós vamos pressionar e ajudar a presidente a vetar o projeto. A terceirização só interessa aos empresários. Aos trabalhadores só trará prejuízos. O PL 4330 rasga a CLT”, diz Aurino Pedreira, presidente da CTB-BA.


Data:15/04/2015

Compartilhe em suas redes sociais

Twitter Orkut Facebook Digg Stumbleupon Favoritos Mais